quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Pintura em garrafas Lindo!

Empresa abre mais de 1.300 vagas temporárias para a páscoa


Catraca Livre

As oportunidades são para as funções de promotor e repositor em diversas cidades
Getty Images

É necessário ter flexibilidade de horário para trabalhar em escala 6X1 (um dia de folga para cada seis de trabalho)

A ALLIS S.A., empresa de serviços de outsourcing e RH, está com 1.358vagas temporárias para a páscoa. Asoportunidades são para as funções de promotor e repositor em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Caxias do Sul, Belo Horizonte e Brasília.

Para participar é preciso ter mais de 18 anos, segundo grau completo e não estar estudando. Além disso, é necessário ter facilidade para trabalhar em equipe, pontualidade, agilidade, ser comunicativo, dinâmico e ter boa dicção.

Os selecionados serão responsáveis pelo abastecimento de produtos em supermercados, pela organização de gôndolas, positivação de material de merchandising e abordagem de clientes para incremento de vendas.

A contratação será em regime de CLT por 90 dias, com possibilidade de efetivação. É oferecida uma remuneração entre R$ 750 e R$ 850, além de alguns benefícios.

Interessados devem cadastrar o currículo no site da ALLIS até 28 de fevereiro.

Veja outras oportunidades de trabalho 

Cinema e Bate papo na Granja - Filme Lincoln



Promoção de Cursos no MuSa

Curso de Agroecologia

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

10 maneiras como a reciclagem está acabando com o meio ambiente.

As pessoas pensam que a reciclagem é um tipo de panaceia para todos os males causados pela humanidade ao meio ambiente, e que separar o lixo vai reverter séculos de baboseiras não biodegradáveis acumuladas nos lixões.

De fato, reutilizar materiais é uma boa forma de reduzir o impacto imposto ao ambiente – quando funciona. Algumas vezes, a teoria e a prática estão em desacordo. Veja aqui algumas formas com as quais estamos prejudicando o meio ambiente através da reciclagem:

10 – ESPALHANDO CONTAMINAÇÃO



A contaminação é um dos maiores obstáculos enfrentados pela indústria da reciclagem, atualmente. Se houverem contaminantes ou toxinas no material original, como por exemplo chumbo em uma lata de tinta feita de alumínio, o contaminante pode passar pelo processo de reciclagem e aparecer no produto final.

O pior problema é que algumas vezes nem sabemos que algo está contaminado até ser tarde demais. Um exemplo foi o de centenas de edifícios de Taiwan que foram feitos de aço reciclado, que estavam envenenando as pessoas com radiação gama nos últimos doze anos. Havia uma contaminação por Cobalto-60.

9 – POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA CONTINUA SENDO PROBLEMA

O processo de reciclagem também produz poluentes, na forma da fumaça dos caminhões que carregam os produtos a serem reciclados. Em 2009 haviam, só nos EUA, 179.000 caminhões coletando e transportando lixo e material reciclável nas estradas, 91% deles movidos a diesel, e a maioria veículos velhos. Os gases emitidos por estes veículos contêm mais de 30 toxinas aerotransportadas.

E isto sem considerar a poluição produzida pelas plantas de reciclagem. Uma planta de reciclagem no estado de Washington, EUA, produz mais emissões tóxicas que qualquer outra fábrica na região. E os três maiores poluidores depois dela são também plantas de reciclagem.

8 – LODO DO PAPEL É NOJENTO



Quando o papel é reciclado, ele é misturado em uma polpa. A polpa é lavada e então prensada para fazer novas folhas de papel. Durante este processo, rejeitos como fibras de papel, tintas, químicos usados na limpeza, e corantes são filtrados e formam um pudim conhecido comolodo ou lama do papel. Esta lama é então queimada ou enviada a um aterro, onde pode liberar dezenas de químicos tóxicos e metais pesados em lençóis freáticos.

Há uma lei nos EUA contra este tipo de maneira de se livrar da lama de papel, mas também há uma maneira de contorná-la: misturando qualquer coisa ao lodo, ele deixa de ser lixo, tornando-se um produto. E não há lei contra jogar toneladas de produtos em um aterro. Nos sites que tratam de reciclagem de papel no Brasil, não foi encontrada referência a esta lama e a seu destino.
l
7 – A MAIORIA DOS PLÁSTICOS NÃO PODE SER RECICLADO



Existem cerca de sete tipos de plásticos comuns no dia-a-dia, e só dois deles são recicláveis. Se você colocar o plástico não reciclável na cesta de material a reciclar, ele será coletado, processado, separado e jogado fora em um aterro. Até mesmo a tentativa de reciclar algumas coisas, como o plástico que envolve aparelhos eletrônicos, representa um desperdício destes recursos.

E as coisas podem ficar piores. O plástico é separado automaticamente em algumas plantas de reciclagem, mas o processo não é prefeito. O resultado é que alguns tipos de plásticos não recicláveis acabam onde não deveriam ir, e você acaba com produtos químicos como o BPA em produtos que não deveriam tê-lo.

6 – OS MÉTODOS ATUAIS NÃO SÃO EFETIVOS



O plástico é um produto cheio de truques, mas, com toda sinceridade, não sabemos o que fazer com ele. Por exemplo, as sacolas de plástico de lojas e mercados. Estima-se que menos de 1% delas é reciclada, e uma das razões é que é muito caro.

Nos EUA, custa US$ 4.000,00 (cerca de R$ 8.000,00) para reciclar uma tonelada de sacos plásticos, e esta tonelada pode ser vendida por US$ 32,00 (cerca de R$ 64,00). O resultado é que, só lá, cerca de 300.000 toneladas destes sacos vão para os aterros a cada ano.

5 – O REFINO DE ÓLEO CRIA PRODUTOS QUÍMICOS TÓXICOS



É óbvio que o óleo é um dos maiores poluentes – basta notar a preocupação em torno dos vazamentos oceânicos. Faz sentido, então, reciclar o óleo usado de forma a obter algo útil dele. Mas a reciclagem de óleo geralmente cria mais produtos tóxicos.

A maioria dos centros de tratamento de óleo de pequena escala usa algo conhecido como o processo de argila ácida. Ela retira as impurezas do óleo, mas deixa para trás uma lama tóxica contendo impurezas e produtos perigosos, como o ácido hidroclorídrico. E o que estas plantas fazem com este lixo tóxico? Queimam, jugando produtos como o óxido nítrico e dióxido de enxofre no ar. Pior: este é o método oficial de lidar com tal lixo. Como se jogar uma pessoa em um lago a salvasse do afogamento.

4 – A RECICLAGEM MAL TOCA A DEMANDA



A demanda por produtos reciclados está crescendo muito mais rápido que a capacidade da reciclagem de produzi-los. O alumínio é uma dificuldade em especial, visto que sua demanda tem crescido 10% ao ano. Sem contar que não pode ser usado para certas coisas (por exemplo, reciclar latas de refrigerante não fornece a qualidade necessária para construir um aeroplano).

Mesmo se as latas pudessem voltar a ser latas, isto não seria suficiente. O americano médio bebe 2,5 latas por dia, o que dá 778 milhões de latas. Com a capacidade de reciclagem de 100.000 latas por minuto, ainda assim faltariam 600 milhões de latas – em um único dia.

3 – ALGUNS PRODUTOS SÃO MELHORES SEM RECICLAGEM



O desmatamento é um dos principais argumentos pela reciclagem. Imagine acres e acres de floresta temperada, com animaizinhos felizes, uma tribo nativa ou duas, todos sendo destruídos. Só que não é isto que acontece. Cerca de 87% do papel novo vem de florestas plantadas apenas para a produção de papel. O EUA derruba cerca de 15 milhões de acres de florestas cada ano, mas planta 22 milhões – cada ano surgem sete milhões de acres a mais de florestas. Aumentar a reciclagem irá reduzir a demanda para estas florestas.

E há também o vidro, que vem da areia, o recurso mais abundante do planeta. O processo de reciclagem de vidro é mais prejudicial que o processo de criação de vidro virgem.

2 – A RECICLAGEM “TUDO-EM-UM” É INEFICIENTE



Uma das tendências recentes em reciclagem é a reciclagem “tudo-em-um”. Todo o rejeito de papel, plástico, vidro e metal vai em uma única lata de reciclagem, que é separada na fábrica. O argumento para este processo é que são necessários menos caminhões para fazer a coleta. Mas a contrapartida é pior – toda a separação extra custa milhões de dólares na forma de novos equipamentos, e a poluição é apenas transferida para as fábricas que tem que construir este equipamento.

E também há o problema da quantidade versus a qualidade. Centros de reciclagem “tudo-em-um” focam em velocidade, que acaba servindo para aumentar o problema da contaminação.

1 – A RECICLAGEM DÁ FALSAS PROMESSAS



A maior razão pela qual a reciclagem prejudica o ambiente não tem a ver com seu processo tecnológico, mas com a mentalidade que cria nas pessoas. A ideia de colocar materiais no cesto de reciclagem ou adquirir produtos reciclados nos faz acreditar que estamos salvando o meio ambiente (quando muito mais coisa precisa ser feita), ou até nos deixar mais relaxados quanto a poluição. Apenas nos EUA, são produzidas anualmente 250 milhões de toneladas de lixo por ano.

O maior impacto da reciclagem é convencer que está tudo bem desperdiçar em outras áreas, já que estamos compensando na reciclagem. Ela encoraja o consumo, em vez de apontar formas de reduzir o mesmo.
A extração de metal será feita dos lixões no futuro
DEVEMOS ABANDONAR A RECICLAGEM?

Obviamente não. Os itens discutidos acima são verdadeiros, mas alguns possuem outros lados – ou controvérsias.

A contaminação não é um problema geral, pelo menos não há nada que o indique. A lama do papel é um problema sério que acontece com uma combinação de manufatura de papel virgem e reciclado. Quanto aos tipos de plástico que podem ser reciclados, isto depende da legislação da cidade. A reciclagem de sacolas plásticas realmente é cara, e o melhor a fazer é usar sacolas de tecido.

A reciclagem de óleo é poluidora, mas será que produz mais poluição que as refinarias? Da mesma forma, a reciclagem de vidro consome menos energia que a produção de vidro virgem, e produz menos poluição atmosférica. E, por fim, a reciclagem tudo-em-um aumenta a taxa de reciclagem.

A conclusão que fica é: ainda podemos muito a avançar na questão da reciclagem. O importante é lembrar que ela não é um milagre e nem faz milagres. [Listverse, LimpaBrasil]
Fonte:  Hypescience 

Sebo virtual: aumente sua biblioteca pessoal economizando tempo e dinheiro


Conheça 5 portais onde é possível encontrar livros antigos, raros e até esgotados
reprodução

Sites conectam sebos de diferentes partes do país possibilitando boas compras

Encontrar livros em sebos é uma tarefa que exige dedicação, paciência e um bom sistema respiratório do leitor-consumidor.

Para os aficionados por livros que não possuem nenhuma dessas características, a internet oferece como opções os sebos virtuais, em que é possível pesquisar, reservar e comprar títulos – com preços mais em conta que em livrarias comuns – com breves cliques do mouse.

Além dos serviços de compras, alguns sites abrigam também blogs com novidades, informações e curiosidades sobre lançamentos e autores.

O Catraca Livre apresenta abaixo uma seleção de 5 sebos virtuais para você aumentar sua biblioteca pessoal economizando tempo e dinheiro.

Estante Virtual – O portal reúne um acervo com mais de 1.200 sebos de todo o país. Conta com um sistema de busca que permite pesquisar os conteúdos de sebos, livreiros e internautas ao mesmo tempo. Possui ainda um blog atualizado com informações sobre o universo dos livros.

Sebo do Messias – Um dos endereços mais tradicionais de São Paulo quando se fala em livros, o Sebo do Messias – que se anuncia como o maior do Brasil – tem mais de 40 anos de história. Há poucos anos inaugurou sua página na internet, opção confiável para novos e antigos clientes.

Livros Difíceis – Prestes a completar 10 anos no ar, o portal é uma opção para busca de livros raros e esgotados. Sem um acervo específico, o site recebe as solicitações e faz as pesquisas em bibliotecas pessoais à venda, sebos e editoras.

Traça – O site possui um acervo com mais de 60 mil obras e cataloga cerca de 300 novos títulos por dia. Conta também com blog com as tirinhas da “Traça”, mascote do sebo.

Sebos Online – O site conecta sebos, livreiros e leitores do Brasil e do mundo. Disponibiliza um vasto acervo de livros e revistas, além de CDs, DVDs e vinis, que vão de novos a esgotados.

Aprenda a Purificar o Ar de Casa de Forma Ecológica


Fonte: Dicas Verdes
Posted: 28 Jan 2013 01:19 PM PST
plantas que purifican o ar da casa Aprenda a Purificar o Ar de Casa de Forma Ecológica


Você sabia que é possível purificar o ar que você respira? Isso em casa ou no seu trabalho. Sim é possível. Nada de filtros mirabolantes e grandes aspiradores de ar. Mas sim, pequenas plantas que ajudam e muito a melhorar a qualidade do ar que você respira. Se você mora em São Paulo, fique preocupado, pois a qualidade do ar a cada dia só piora, e com a chegada do inverno muitas pessoas adquirem ou pioram sua saúde devido a qualidade do ar.

Desta forma vamos mostrar algumas plantas que ajudarão a filtrar as toxinas presentes do ar.

1. Palmeira de Bambu : Ajuda a eliminar o formaldeído e também há quem diga que ele atua como um umidificador natural.

2. A famosa Espada de São Jorge: Serve para absorver os óxidos de nitrogênio e o formaldeído. Mas tome cuidado com as crianças. Esta planta é altamente tóxica se ingerida.

3. Palmeira: Uma das melhores plantas para a purificacão do ar. Ela ajuda na limpeza do ar em geral, além de ficar muito bem com peça decorativa.

4. Planta aranha: Grande planta de interior para eliminar o monóxido de carbono e outras toxinas e impurezas. A Planta-aranha é uma das melhores plantas para a eliminação de formaldeído do ar.

5. Lírio de paz: Esta poderíamos chamar de a mais limpa de todas.” Os lrios são frequentemente colocados no banheiro ou lavanderia. Uma vez que elas são conhecidas na remoção de esporos de fungos. Também conhecido para eliminar formaldeído e o tricloroetileno (é um hidrocarboneto clorado comumente usado como um solvente industrial ).

6. Gérbera: Esta maravilhosa flor elimina o benzeno no ar, são conhecidos para melhorar o sono ao absorver dióxido de carbono e emitem mais oxigênio durante a noite.

Estas pequenas dicas ajudam e muito a melhorar a qualidade de vida de muita gente, mas também é sempre bom lembrar que para melhorarmos a cada dia é sempre bom fazermos nosso papel de casa, tal como andar de bicicleta, andar de coletivo e andar a pé que além de bom para o bolso, faz muito bem ao coração, para as estrias e rugas.


Via > Engenharia Ambiental – Via Face

Aumenta o cerco à publicidade para crianças

Autor: RedeNutri Published At: Qua 23 de Jan, 2013 09:00 BRST (187 Leituras)


''O cerco às indústrias e ao mercado publicitário deve continuar"

Mais de 30% das crianças brasileiras têm sobrepeso e 15% delas são obesas na faixa entre 5 e 9 anos. O dado é da Pesquisa de Orçamento Familiar, do IBGE, de 2009 e é três vezes maior do que há uma década. 

O tema, que já é uma questão de saúde pública, está estimulando a criação de leis, em diferentes estados, restritivas da publicidade e do marketing voltado às crianças. No Rio acaba de entrar em vigor uma lei que proíbe a venda casada de brindes e lanches. Nas cidades de Florianópolis e Belo Horizonte existem leis semelhantes. O cerco às indústrias de alimentos e ao mercado publicitário deve continuar. E o próximo round acontece até o dia 29, prazo para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin sancione o Projeto de Lei 193/2008, do deputado Rui Falcão (PT). 

Se aprovada, a nova lei impedirá a publicidade, dirigida a crianças, de alimentos e bebidas pobres em nutrientes e com alto teor de açúcar, gorduras saturadas ou sódio entre 6 horas e 21 horas, no rádio e televisão, e em qualquer horário nas escolas públicas e privadas. No Rio, a lei municipal 5.528 vem sendo descumprida pelo McDonald"s e pelo Bob"s. Até ontem, as duas redes de lanchonetes continuavam a vender brinquedos com grande apelo infantil agregados aos lanches destinados às crianças. Publicada em 8 de janeiro, a lei municipal, de autoria do vereador Marcelo Piuí (PHS), prevê multa de R$ 2 mil para cada loja que descumpri-la. Em caso de reincidência, a penalidade é dobrada. O texto diz que é responsabilidade do município a fiscalização. 

No McDonald"s, a promoção que acompanha o McLanche Feliz oferece atrativos tanto para meninos como meninas. Os meninos podem escolher entre personagens das histórias do Lanterna Verde, da Marvel, enquanto as meninas podem colecionar bonequinhas japonesas Hello Kitty. 

Já no Bob"s, o Tri Kid"s, utilizado para batizar a refeição infantil similar ao do concorrente (cheeseburguer, batata frita e coca-cola), neste mês, vem acompanhado também de personagens da DC Comics: Batman, Robin, Coringa ou Mulher Gato. 

A Rede Bob"s informou que ainda está avaliando a nova legislação e divulgou a nota: "em conjunto com as entidades que representam o setor, esclarece que avalia a nova legislação para posteriormente adotar qualquer medida. Até o momento a operação não foi alterada". 

A única rede que já retirou de todas suas lanchonetes no município do Rio os brinquedos vendidos às crianças foi o Burguer King. A empresa informou que, no entanto, em outros municípios do Estado do Rio, onde não há legislação a respeito, os brinquedos continuam sendo vendidos. Belo Horizonte e Florianópolis publicaram leis em junho de 2012 que também tratam da proibição da venda casada de lanches e brindes ou brinquedos. As multas vão de R$ 1 mil a R$ 3 mil, dobrando na reincidência. Em Florianópolis, após a sanção da lei, três redes de fast-food e uma confeitaria foram notificadas pelo Procon. No entanto, o órgão foi proibido de notificar os estabelecimentos devido a um mandado de segurança movido pelas empresas autuadas e concedido pelo juiz da vara da Fazenda Pública. 

A preocupação dessas leis, que também avançam em outros países, é proteger o público infantil vulnerável ao marketing, ao consumo e ao sobrepeso. "Os projetos de lei tratam do problema pontualmente. Mas encaramos a obesidade como multicausal", diz Isabella Henriques, diretora do Instituto Alana, organização não governamental dedicada ao público infantil. 

Embora seja apenas um dos aspectos que contribuem à escalada da obesidade, é através da comunicação que a população recebe a informação e cria o desejo de comer alimentos processados, que representa, para muitos, um salto de status. "Esta discussão já é complexa para um adulto e se agrava quando se fala de crianças", diz o assessor de advocacia do Alana, Pedro Hartung. Atualmente, mais de 200 projetos que limitam a publicidade tramitam no Congresso. Metade deles se refere à bebidas alcóolicas e a outra parte à bebidas não alcóolicas, alimentos, automóveis.


Fonte: http://www.cfn.org.br/eficiente/sites/cfn/pt-br/site.php?secao=nutricaonamidia&pub=1309

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Casa Angela realiza partos naturais para mães com gestações de baixo risco

parto_natural_casa_angela

Para gestantes que preferem realizar o parto natural ao invés da cesária, a Casa Angela, localizada no bairro Jardim Mirante, oferece o acompanhamento necessário para mães que desejam dar a luz a de forma natural.

Mantida pela ONG Monte Azul, o centro funciona 24h e não cobre nada das gestantes que moram na região. Para aquelas que são de outras localidades, o preço sobre para R$ 3500, já que a Casa não recebe maiores ajudas financeiras.

No ambiente, enfermeiras-obstetras, psicólogos, técnicos de enfermagem e outros especialistas trabalham para um atendimento mais particular e confortável aos pais que buscam pelos serviços da Casa Angela.

Antes de parir, as mães também podem participar de sessões de pré-natal meses antes no local. É recomendável que apenas gestantes com gravidez de baixo risco possam aceitar tal iniciativa, devido as poucas complicações presentes na gestação.

Camas hospitalares, equipamentos diversos e partes da infra-estrutura como banheiros podem ser todos utilizados pelas mães no dia do parto. Para mais informações, interessados encontram mais detalhes no site ou pelo telefone 11 5852-5332.

A Casa Angela fica na Rua Mahamed Aguil, 34, Jd. Mirante, São Paulo.

Fonte: Catraca Livre 

Três dicas para entender melhor os rótulos dos alimentos

Fonte: Super Abril

Lydia Cintra 11 de janeiro de 2013
Você costuma ler rótulos? Este é um dos melhores hábitos para consumir melhor. É na embalagem que o produto se apresenta e oferece informações importantes para guiar o consumidor na hora de decidir a compra. Segundo a Anvisa, cerca de 70% das pessoas consultam os rótulos dos alimentos, mas metade não entende adequadamente o significado do que está neles.
Por isso, não desanime com as letrinhas pequenas, nem se deixe levar somente por figuras, frases chamativas e cores bonitas. O Ideias Verdes separou três dicas para ajudar você a desvendar as prateleiras do supermercado. E não esqueça: é questão de treino. Com o tempo,vira hábito!
1. Do que é feito?Por lei, a lista de ingredientes descrita na embalagem deve estar em ordem decrescente, ou seja, o primeiro ingrediente é aquele que está em maior quantidade no produto e o último, em menor quantidade.
Com essa informação em mãos, é possível avaliar melhor o que você está comprando. Por exemplo: alguns bolinhos prontos, desses que servem de “lanchinho” da tarde (e tem bastante apelo ao consumo infantil), tem mais açúcar do que farinha – ingrediente que deveria ser a base da massa. Melhor fazer o bolo em casa, não?
2. Dá no mesmo?Os rótulos não devem apresentar palavras ou qualquer representação gráfica que possa tornar a informação falsa ou que induza o consumidor ao erro. No Manual do Consumidor, a Anvisa cita como exemplos embalagens de chocolates que demonstram que o consumo de determinada quantidade equivale ao consumo de um copo de leite. “Mesmo que o consumo de chocolate possa equivaler em determinado nutriente (como o cálcio) ao consumo de leite, os dois alimentos não são comparáveis. Essa comparação pode levar o consumidor ao erro”.
Um caso que chamou a atenção da mídia no ano passado foi a do Ketchup Hellmann’s, que exaltava a presença de dez tomates na composição do produto. A partir de queixas de consumidores, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), pediu a alteração do comercial. Uma das frases da propaganda dizia: “Minha filha comia arroz com ketchup, agora come arroz com tomate”. – Leia uma crítica sobre o caso neste link.
Na decisão final, a relatora do Conar disse que, em seu contexto criativo, o anúncio não induz à substituição de um alimento por outro, mas reconheceu que uma das frases pode ser mal interpretada (a frase acima). A sugestão de alteração do texto da frase foi voto aceito por unanimidade no Conselho. Assista ao comercial de TV:
3. Símbolo “T”Você já viu um triângulo amarelo em produtos como estes?
Desde 2003, um decreto federal regulamentou o direito à informação quanto aos alimentos transgênicos nas embalagens dos produtos alimentícios. Além do símbolo, que deve ser impresso na parte da frente da embalagem (que fica voltada para o consumidor quando o produto está na prateleira), o rótulo deve conter expressões como “(nome do produto) transgênico”, “contém (nome do ingrediente ou ingredientes) transgênico(s)” ou “produto produzido a partir de (nome do produto) transgênico”.
O decreto determina ainda que o consumidor seja informado sobre a espécie doadora do gene e se os ingredientes são produzidos a partir de animais alimentados com ração transgênica.
Até chiclete tem transgênico…
O “T” nas embalagens, porém, não é unanimidade. O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) apresentou um projeto de lei que propõe o fim desse tipo de rotulagem. No seu site, o deputado argumenta que o símbolo amarelo provoca medo nos consumidores. “Ora, sabe-se muito bem que uma legislação que obriga a identificação de ingredientes transgênicos por meio de um triângulo amarelo — normalmente utilizado para placas de existência de risco, conforme a norma ISO nº 3864/02 —, em vez de garantir ao consumidor o direito à plena informação, afasta-o de qualquer avaliação racional, uma vez que provoca medo no consumo e induz ao repúdio desses produtos”.
Heinze diz ainda que a rotulagem atual é contraditória diante das constatações científicas e das políticas de desenvolvimento do governo brasileiro. “A norma de rotulagem também não pode impedir o desenvolvimento de uma área extremamente estratégica para o país, a biotecnologia — setor para o qual o governo brasileiro possui uma política de fomento que prevê investimentos da ordem de R$ 10 bilhões até 2017, entre recursos públicos e privados.”
Para o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), o projeto é um retrocesso e “contraria o direito básico do consumidor à adequada informação sobre produtos lançados no mercado assegurado pelo Código de Defesa do Consumidor, além de inconstitucional por ofender o princípio da precaução e da defesa do consumidor”.
O projeto foi retirado da pauta da Câmara dos Deputados em novembro de 2012, mas pode voltar a qualquer momento.
Tem mais dicas? Compartilhe! 
(Imagens: Wikimedia  Commons/ Divulgação/ Montagem: retiradas do Facebook “Alimentos Transgênicos”/ Facebook “Chiclets”)

Biscoitos deverão constar nos rótulos símbolos de alimentos transgênicos

VGNotícias - Publicado em :02/04/2012 às 10:57

Foto: Reprodução
A exigência, se atendida, obrigará as empresas a ter de imprimir novas embalagens com um “T”, em letra maiúscula, inserido em um triângulo com fundo amarelo, ladeado do nome do produto acompanhado da expressão “transgênico”.
 
O Ministério Público quer que a Justiça paulista condene duas empresas, fabricantes de biscoitos a partir de substância geneticamente modificada, a imprimir nos rótulos dos produtos o símbolo de alimento transgênico.
A exigência, se atendida, obrigará as empresas a ter de imprimir novas embalagens com um “T”, em letra maiúscula, inserido em um triângulo com fundo amarelo, ladeado do nome do produto acompanhado da expressão “transgênico”.

O pedido do MP integra uma ação civil pública proposta na última sexta-feira (30.03) contra a Bagley do Brasil Alimento Ltda., fabricante do biscoito “Triunfo Tortini Morango“, e contra a Adria Alimentos do Brasil Ltda., que produz a “Tortinhas Chocolate e Cereja”.

O MP ainda foi mais longe e pediu que a Justiça determine, imediatamente, a busca e apreensão de todos os lotes dos dois produtos existentes no mercado que não contenham a indicação na embalagem.

No mérito, o Ministério Público pede que as empresas sejam obrigadas a informar, de maneira clara, eficaz e adequada, no rótulo dos dois produtos, a presença de organismos geneticamente modificados em sua composição.

O promotor de justiça Roberto Senise Lisboa disse que tanto o “Triunfo Tortini Morango”, da Bagley, quanto as “Tortinhas Chocolate e Cereja”, da Adria, tem entre seus componentes a soja transgênica Roundup Ready

De acordo com o Roberto Senise, os produtos são comercializados sem que essa informação chegue claramente ao consumidor. Por conta dessa irregularidade, segundo o promotor de justiça, as duas fabricantes foram autuadas pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor.

Roberto Senise explicou que a soja transgênica Roundup Ready é uma alteração genética da semente de soja a fim de que ela se tornasse resistente ao herbicida glifosato, usado para eliminar ervas prejudiciais ao plantio e desenvolvimento da cultura de soja, sem ser, contudo, em tese, prejudicial a esta cultura.

O promotor destacou que a informação sobre a composição dos biscoitos deve estar descrita claramente na embalagem para que o consumidor possa exercer seu direito de escolha na hora da compra do produto.

Ainda segundo o promotor, o consumidor tem direito de ser informado sobre a origem dos produtos, ainda mais quando esses produtos são elaborados por meio de organismos geneticamente modificados.

Redação VG Notícias com Brasil 247

Reutilizando para gerar vida


Excelente dica da Horta Urbana

Aprenda chinês na FAAP aula demonstrativa 31 de janeiro











sábado, 26 de janeiro de 2013

DESCEU QUADRADO… Um sorvete de cerveja... e as crianças?


Por Instituto Alana

image
A psicóloga do Instituto Alana, Lais Fontenelle, questiona o lançamento de um sorvete com cerveja na receita – quem se beneficiará com isso?
Vem chegando o verão… E com ele a notícia de que a Skol vai lançar um sorvete de massa sabor cerveja.  De acordo com a empresa, o sorvete não tem álcool na fórmula e, por estar associado a uma marca de cerveja, será vendido apenas para maiores de 18 anos. 
Será? A marca informou, por exemplo, que estuda a possibilidade da venda do produto pela página da Skol no Facebook. Quantas crianças e adolescentes estão na rede social? O Facebook é permitido para maiores de 13 anos, ou seja, território livre para adolescentes. Sabemos, ainda, que – na prática – existem também crianças com perfis por lá.
Para mim, não resta dúvida. Essa é somente mais uma estratégia de marketing para fidelizar clientes – “do berço ao túmulo”, como proclamam muitas empresas –, além de uma fórmula perversa para adaptar, desde cedo, o paladar do cliente ao sabor amargo da cerveja.
Dados apontam que 27,9% dos alunos da rede pública entre 10 e 12 anos e 38,5% dos alunos da rede particular da mesma idade já consumiram álcool*. Dez por cento dos jovens entre 12 e 17 anos podem ser considerados dependentes **. Chocante, não?
Por isso, volto a me perguntar: será que o inofensivo lançamento de verão da Skol não irá contribuir para o aumento desses dados alarmantes? E será que caberá aos pais, sozinhos, mais uma vez impor limites para os excessos de consumo dos filhos? Infelizmente, eu acredito que sim. Mais uma árdua tarefa terão então os pais contemporâneos nesse verão: dizer não ao sorvete da Skol quando seu filho implorar por um durante um dia quente de verão.
Vale registrar um fato curioso: na mesma semana em que soube desse lançamento, também li que a Justiça Federal decidiu ampliar as restrições de publicidade para bebidas alcoólicas no país. Pela decisão, as restrições, que até então eram aplicadas apenas a produtos de teor alcoólico acima de 13 graus Gay-Lussac (13º GL), passam a valer para todas as bebidas com graduação alcoólica igual ou acima de 0,5º GL. Com isso, cervejas e vinhos não podem veicular anúncios entre 6h e 21h na TV, por exemplo.
A pedido do Ministério Público Federal, a Justiça também proibiu que a publicidade de bebidas a partir de 0,5º GL faça associações a esportes olímpicos ou de competição, ao desempenho saudável de atividades, à condução de veículos, a imagens ou ideias de êxito e à sexualidade das pessoas.
As medidas deveriam entrar em vigor em um prazo de dez dias, mas uma determinação do Tribunal Regional Federal da 4ª. Região, em resposta a um agravo apresentado pela Anvisa, considerou o prazo “exíguo demais”. Aguarda-se agora nova determinação – o que, infelizmente, pode demorar. No entanto, o assunto está em foco e o Poder Judiciário tem em mãos a chance de corrigir uma aberração legal: por que a diferenciação entre graus alcoólicos se o efeito de todas as bebidas é o mesmo?
Enfim, não deixa de ser curioso como, no mesmo momento em que a publicidade de cerveja começar a sofrer mais restrições, uma das maiores marcas do país resolva lançar um sorvete no verão. Deixo aqui a reflexão e o alerta para pais e mães desavisados… Sorvete de cerveja merece atenção!
 Foto: jennifer yin

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Ao invés de demolir, empresa "desmonta" prédios, andar por andar .

Quando edifícios ficam velhos demais, seu destino geralmente acaba em demolição: uma bagunça poeirenta e ruidosa através da explosão por dinamite. Mas talvez não tenha que ser assim. Talvez possa ser sutil, quieto e tranquilo. Talvez possa ser uma demolição estratégica, feita andar por andar, como no arranha-céu do vídeo acima.



Ver um edifício ficando menor de cima para baixo é como limpar linha após linha após linha de Tetris. Parece que o prédio está sendo photoshopado para ficar menor, pixel por pixel. Mas tudo isso aconteceu na vida real: não sobrou nada do Grand Prince Hotel Akasaka, em Tóquio (Japão), como você pode ver nestas fotos. Ele tinha 139 m de altura.

A Tasei Corporation, uma empresa de construção japonesa, está usando um novo e esperto método para demolir edifícios. Em vez de usar explosivos ou bolas de demolição, a Tasei destrói o prédio por dentro.

Eles começam retirando o piso de cada andar. O entulho (concreto e vigas) é transportado para o térreo usando um guindaste, que fica dentro do prédio.

E o guindaste gera eletricidade ao levar os materiais para baixo – é como carros híbridos, que geram energia quando você pisa no freio. Dessa forma, o guindaste fornece energia para outros equipamentos usados no desmonte do prédio. Ou seja, não só a demolição é limpa – ela é ecologicamente correta.

No entanto, tudo isso mantém a estrutura externa do edifício, com a ajuda de colunas temporárias. Então como ele some de cima para baixo? É que essas colunas – e o que restou de cada andar – são removidas aos poucos, dando a impressão de que o edifício está encolhendo. A Tasei ainda usa uma cobertura no topo, para minimizar o ruído e a poeira.

Este método reduz as emissões de carbono em 85%, os níveis de poeira em 90%, e o ruído em 17-23 decibéis. Além disso, é inegavelmente legal só de ver. [originalmente postado no Gizmodo Brasil, via Japan Times via Wired]

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Prefeitura SP contrata professores


Diário Oficial da Cidade de São Paulo de 15/01/2013 p. 40

1. Estarão abertas no período de 16/01 a 23/01/2013 nas Escolas Municipais de Ensino Fundamental – EMEFs, Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Médio – EMEFMs e Escolas Municipais de Educação Bilíngüe para Surdos - EMEBs, inscrições de candidatos a eventual contratação pelo prazo máximo de 12 (doze) meses, para a função de Professor de Ensino Fundamental II e Médio, para regência de aulas nas disciplinas: Português, Matemática, Ciências, História, Geografia, Inglês, Artes e Educação Física.

Nova Turma Embaixadores Choice


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Esta foto incrível marca o fim da carreira do toureiro Alvaro Munera.


Ele entrou em colapso no meio de uma luta quando chegou a hora de matar o touro. Ele passou a se tornar um adversário ávido de touradas. Mesmo gravemente ferido pelas espadas o touro não o atacou.

Munera explica este momento: "E de repente, eu olhei para o touro. Ele tinha essa inocência que todos os animais tem em seus olhos, e ele olhou para mim com uma contestação. Era como um grito de justiça, no fundo, dentro de mim. Eu descreveria-o como sendo uma oração - espero que tenha me perdoado. Eu me senti a pior merda na Terra.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

39 livros que você PRECISA ler antes de morrer segundo os leitores

3/10/2012
Fonte: Universia
Faça o download dos 39 livros que os leitores da Universia Brasil recomendam para ler antes de morrer. Lista inclui clássicos de Machado de Assis, Eça de Queirós e José de Alencar, entre outros



Crédito: Shutterstock.com

As obras recomendadas agradam todos os gostos, desde ficção até romance passando por mistério e grandes tragédias gregas

A Universia Brasil, maior rede ibero-americana de colaboração universitária presente em 22 países, já disponibilizou uma lista com 18 livros que você precisa ler antes de morrer. Pedimos a ajuda dos leitores para incrementar a lista com novos títulos. Confira a seguir o que os leitores acreditam que você deve ler durante a vida.

» Mais de 700 livros para download grátis
» Baixe os livros obrigatórios da Fuvest e Unicamp 2013
» Obras literatura portuguesa grátis

As obras recomendadas agradam todos os gostos, desde ficção até romance passando por mistério e grandes tragédias gregas. Entre os títulos encontram-se, por exemplo, clássicos como Dom Casmurro, de Machado de Assis; produções de grandes pensadores gregos, como O Banquete, de Platão e até mesmo poesias, como As Flores do Mal, de Charles Baudelaire.

Confira agora a nova lista com 39 títulos que você PRECISA ler antes de morrer segundo os leitores:

1. » Assim Falava Zaratustra, de Nietzsche (em Inglês)

2. » A Moreninha, de Joaquim Manuel de Macedo

3. » Anna Karenina, de Leon Tolstoi (em Inglês)

4. » Guerra e Paz, de Leon Tolstoi (em Inglês)

5. » Os Irmãos Karamazov, de Fiódor Dostoievski (em Inglês)

6. » Recordações da Casa dos Mortos, de Fiódor Dostoievski (em Inglês)

7. » O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde (em Inglês)

8. » Frankenstein, de Mary Shelley (em Inglês)

9. » Édipo Rei, de Sófocles

10. » Ilíada, de Homero (em Inglês)

11. » Odisseia, de Homero (em Inglês)

12. » As Flores do Mal, de Charles Baudelaire (em Inglês)

13. » Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe (em Inglês)

14. » Germinal, de Émile Zola (em Inglês)

15. » O Crime do Padre Amaro, de Eça de Queirós

16. » Os Maias, de Eça de Queirós

17. » Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll (em Inglês)

18. » Pollyana, de Eleanor H. Porter (em Inglês)

19. » Pollyana Moça, de Eleanor H. Porter (em Inglês)

20. » Um Conto de Duas Cidades, de Charles Dickens (em Inglês)

21. » O Conde de Monte Cristo, de Alexandre Dumas (em Espanhol)

22. » A Arte da Guerra, de Sun Tzu (em Inglês)

23. » Ulisses, de James Joyce (em Inglês)

24. » Eneida, de Virgílio (em Espanhol)

25. » A Metamorfose, de Franz Kafka

26. » Dom Casmurro, de Machado de Assis

27. » A Mão e a Luva, de Machado de Assis

28. » A Tempestade, de William Shakespeare (em Inglês)

29. » Hamlet, de William Shakespeare (em Inglês)

30. » O Banquete, de Platão

31. » A República, de Platão (em Inglês)

32. » Elogio da Loucura, de Erasmo de Roterdã

33. » Ilusões Perdidas, de Honoré de Balzac (em Inglês)

34. » Amor de Perdição, de Camilo Castello Branco

35.» Inocência, de Taunay

36. » O Seminarista, de Bernardo Guimarães

37. » Senhora, de José de Alencar

38. » Sonetos, de Luis de Camões

39. » Os Lusíadas, de Luis de Camões

Dicas digitais - Livros, Imagens e mais ...


Muito legal esta página do catraca Livre sobre o que se pode baixar no computador, são livros, imagens, enciclopédias etc.






Veja em Catraca Livre

Sites ajudam a escolher curso on-line gratuito


Do Redação Na Rua em 10/12/12
Por Patrícia Gomes, do PorVir
Getty Images


Um belo dia você ouve que grandes universidades do mundo e outras tantas organizações estão dando cursos gratuitos pela internet e se interessa em ver do que se trata – afinal, é de graça, não é? Aí você começa a procurar e descobre, indo de site em site, que só em programação são dezenas, talvez centenas de opções. 

A Codecademy é só voltada para o tema e oferece, entre inúmeras possibilidades, “o verdadeiro curso de iniciação à programação”. 

O Coursera, que começou com cursos de Stanford, Michigan, Pennsylvania e Princeton e hoje já reúne 33 grandes universidades, tem um chamado “linguagens de programação”. 

A Udacity tem aulas inteligência artificial. 

O edX, do MIT e de Harvard, também tem aulas no ramo. Fora da área da ciência da computação, são muitas outras alternativas. A lista, de tão grande, desanima. 

Dois sites recém-lançados, o Course Talk e o Knollop, no entanto, estão ajudando os alunos a fazerem suas escolhas.


Dois sites recém-lançados, o Course Talk e o Knollop, podem ajudar na escolha do curso

Neles, o usuário pode procurar por um tema de seu interesse e encontrar, em um só clique, os cursos relacionados ao termo nas mais diversas universidades e organizações que oferecem cursos gratuitos pela web – cada um dos sites tem sua carta de instituições, mas elas incluem Coursera, edX, Udacity, Udemy, Khan Academy e outras iniciativas. Feita a busca, na lista de resultados, o interessado pode ver informações sobre cada um dos cursos e o que é melhor: ter acesso a críticas feitas por quem já fez o curso, com estrelinhas e tudo, bem ao estilo de avaliações de filmes em cartaz. Depois, outros usuários podem dizer se gostaram ou não do comentário.

Assim, um interessado em poesia americana moderna e contemporânea, por exemplo, pode ver pelo Knollop, lançado em outubro, que há quatro cursos disponíveis sobre o tema, dois no MIT OpenCourseWare, um na Udemy e um no Coursera, oferecido pela Pennsylvania. Este último tem 12 críticas, todas atribuindo cinco estrelas e comentários elogiosos às aulas. Fazendo a mesma busca no Course Talk, uma única opção aparece, o curso da Pennsylvania. Ali, é possível ver 114 críticas, a mais recente delas feita ontem mesmo. “Eu aprendi muito neste semestre. Foi, de longe, a melhor aula de literatura que eu já tive. Ela me desafiou de várias formas”, disse o usuário Elliot Holt.

Para Jesse Spaulding, fundador do Course Talk, além de agregar cursos em um só lugar e trazer críticas de usuários, sua plataforma tem outra funcionalidade muito útil na hora de escolher um curso para estudar: a de apontar opções de cursos com características semelhantes. “Com ela, quando você acha um curso que você está interessado, fica fácil encontrar outros que você pode gostar”, diz o jovem, que fundou o site há dois meses, depois de frequentar cursos gratuitos on-line e perceber que havia um movimento importante ocorrendo na educação – área com a qual nunca havia trabalhado antes. “É uma época muito estimulante para trabalhar com educação por causa de toda a inovação que estamos vendo acontecer. O fato de as melhores universidades do mundo estarem se envolvendo com esses tipos de curso dá credibilidade para a área”, afirma Spaulding.

Também foi a partir de experiências pessoais que nasceu a ideia de criar o Knollop. “A web sempre foi cheia de recursos educacionais incríveis, mas todo esse conhecimento está disponível de forma caótica. A partir de nossas próprias dificuldades com o aprendizado on-line, começamos a pensar em maneiras de ajudar a orientar um aluno para alcançar os seus objetivos e dar sentido às ofertas de educação pareceu um bom lugar para começar”, disse Karen Sun, cofundadora da Knollop, referindo-se aos seus colegas de empreitada Scott Maher e Michael Holroyd.

Fonte: Catraca Livre

E mais:
10 plataformas gratuitas para aprender línguas

USP lança portal com 800 videoaulas gratuitas

Onde curtir a melhor vista de São Paulo.



São Paulo é uma cidade grande, uma metrópole, mas tem uma beleza que muitos desconhecem. Vale a pena visitar um destes pontos para ver a beleza da cidade lá de cima!

Torre Banespa
Este arranha-céu no coração de São Paulo é um cartão-postal da cidade e um dos edifícios mais altos do Brasil. Ele oferece uma vista de 360º da cidade.
Rua João Brícola, 24, Sé, tel.: (11) 3249-7180. De segunda a sexta das 10h às 17h. Grátis

Pedra Grande
Para chegar na Pedra Grande que dá nome ao núcleo é preciso percorrer 9,6km ida e volta de uma trilha asfaltada mas com nível alto por conta da subida. A pedra impressiona pelo tamanho e a vista que oferece de toda a cidade.
Parque Estadual da Cantareira a Pedra Grande
Rua do Horto, 1799, Horto Florestal, tel.: (11) 2203-3266
Das 8h às 17h. Entrada R$ 9,00

Edifício Itália
Construído em 1956 o Edifício Itália foi durante muitos anos o prédio mais alto de São Paulo. No 45º andar o Terraço Itália oferece uma vista de 360º impressionante da cidade tanto à noite quanto de dia.
Terraço Itália
Av. Ipiranga com Av. São Luís – tel.: (11) 2189 2929
De segunda a sexta das 15h às 16h a visitação ao Terraço Itália é gratuita. Fora deste horário é aberto para os clientes do restaurante ou do bar que cobra R$ 30 de entrada sem consumação.

Pico do Jaraguá
A trilha do Pai Zé com 1600m ida e volta, sai do parque e vai até o Pico do Jaraguá que tem uma das vistas mais incríveis da cidade. É possível também chegar de carro.
Parque Estadual Jaraguá
Rua Antônio Cardoso Nogueira 539, tel.: (11) 3943-5222 / (11) 3941-2162 Todos os dias das 7h às 17h. Grátis

Edifício Martinelli
Inaugurado em 1929 o edifíco tem 105m de altura e 30 andares. Fruto do ideal do italiano Giuseppe Martinelli que na época quis erguer o arranha-céu mais alto da cidade, sua construção foi marcada por diversos fatos históricos.
Prédio Martinelli
O edifíco tem três entradas: R. São Bento, 397 a 413 , Av. São João, 11 a 65 ou R. Libero Badaró, 504 a 518, tel.: (11)3104-2477
Horário de visitação: de segunda a sexta-feira das 9h30 às 11h30 e das 14h30 às 16h30. Aos sábados das 9h às 13 e aos domingos das 9h às 15h. As visitas são gratuitas e para grupos grandes precisam ser agendadas.


Edifício Copan desde o Terraço Itália As 2 Vistas Mais Impressionantes de São Paulo

Contra os transgênicos, padre distribui sementes crioulas.


Em defesa da saúde dos moradores de Grão Pará e municípios vizinhos, o padre Aluísio Jocken ingressou na luta contra os alimentos transgênicos

SEMENTES estão sendo distribuídas na Casa Paroquial de Grão-Pará
Fonte: FOLHA
No dia 19 de setembro de 2012, uma pesquisa realizada por um laboratório de uma universidade francesa obteve como resultado o alarmante fato de que os alimentos transgênicos causariam até três vezes mais câncer do que os alimentos cultivados com agrotóxicos. A pesquisa foi mundialmente discutida e criticada, muitos cientistas e pesquisadores foram contrários aos métodos adotados pela equipe da universidade francesa, que durante dois anos alimentou 200 camundongos em três grupos separados, um com milho transgênico, um com herbicida e o terceiro grupo apenas com milho comum tratado sem herbicida.
Apesar das grandes divergências de opiniões sobre o assunto, o padre Aluísio Jocken, da paróquia de Grão-Pará, que é coordenador da Comissão da Pastoral da Terra (CPT) no Estado, achou melhor prevenir do que remediar. Preocupado com a saúde das pessoas, foi até o município de Curitibanos, situado no centro do estado de Santa Catarina, e conseguiu 62 sacas, de 20 quilos cada, de milho crioulo, em quatro variedades, além de 10 sacas de feijão crioulo, em duas variedades.
Os grãos estão sendo distribuídos gratuitamente para os agricultores de toda a região que tenham o interesse em cultivar as sementes naturais dos produtos. “A igreja sempre foi contra o consumo dos transgênicos, e, agora, com essas informações, temos que adotar uma posição mais firme em prol das pessoas”, julga o padre Aluísio.
Até o momento, os grãos de feijão já acabaram, e pouco mais da metade dos grãos de milho foi distribuído. A procura continua intensa, apesar da quantidade não ser o suficiente para todos os produtores da região. Aluísio explica que todos os que pegaram as sementes para cultivar assumiram o compromisso de também fazer mais sementes. “Trata-se de um trabalho em conjunto para o bem de todos. Temos de dar ao povo alimento saudável para que possa comer sem medo. Se os agricultores começarem a estocar sementes para as próximas safras, não ficarão à mercê das agropecuárias e empresas que vendem o transgênico”, manifesta o padre.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Oi pessoal de São Paulo vamos nos programar para o fim de semana?


Dúvida cruel, o que fazer no fim de semana numa Metrópole como São Paulo. Fácil,
clique aqui no Sampa On Line

"Agente da Gente" - SABESP NA COMUNIDADE


O Programa "Agente da Gente" tem como objetivo criar laços e estreitar parcerias de representantes da Empresa com a comunidade.

Neste trabalho, cerca de 50 agentes comunitários realizam encontros, palestras e orientações sobre educação sanitária e ambiental. Os temas vão desde a importância de fazer a conexão das residências às redes de esgotos, orientação a moradores na organização de mutirões para instalar infraestrutura de saneamento, auxílio para combater perdas de água por vazamentos e evitar ligações clandestinas..

Em 2009, o projeto atendeu 1,3 milhão de pessoas. Foram 680 palestras educacionais, 56 encontros, mais de 15 mil visitas e 12 mil atendimentos por telefone. Dentre as ações realizadas está o auxílio à população do Jardim Pantanal, zona leste da capital, que foi atingida pelas enchentes. A Sabesp foi a primeira empresa a prestar assistência à região com a distribuição de cloro diluído para limpeza das casas, distribuição de água potável e limpeza das ruas.


Para levar o Programa Agente da Gente para sua comunidade, entre em contato no telefone (11) 3388-8200 ou mande um email para presidente@sabesp.com.br.

Na mídia

Programa Agente da Gente é citado em editorial do jornal Estado de S. Paulo




Fonte: SABESP

Em SP, moradores podem trocar lixo reciclável por frutas, pães e peixes

Fonte: Thegreenestpost Por Débora Spitzcovsky Em Lixo 25 jul 2017 “Reciclou, Levou.” Este é o nome do mais novo programa da prefeitura de Gu...